domingo, 1 de junho de 2014

Regresso à escrita

      
           Bem há algum tempo que não escrevo, mais precisamente à 4 meses, que deixei de por o que sinto na escrita. Muita coisa mudou neste 4 meses, uns para melhores outras para piores.
       Desde que comecei esta numa relação que tenho vivido momentos que anteriormente nunca tinha passado, uns bons outros por vezes menos bons , mas temos ultrapassado tudo. Só que por vezes sentido  que não é suficiente, talvez seja exigente demais e carente demais também. Penso que  às vezes talvez esteja a ser injusta mas precisava de sentir que não sou só que está neste cena , mas que ele está dentro também. E sei que ele ama-me no entanto alturas que a minha cabeça dá um nó e precisa dessa demonstração. 
        É claro que ele é fofo e assim de vez enquanto mais tipo , nao sinto completa, sei que nós amamos mas está a faltar algo em nós e sei que tenho que descobrir o que e  sei que não é por isso que algo pode deixar de funcionar. Ele é perfeito, talvez o sonho de muitas raparigas, e muito lindo também. O que faz de mim se calhar muito ciumenta mas pronto acho que nenhuma rapariga gosta de ver o seu namorado sendo alvo de interesse de outra. Felizmente ele já deu me provas que só tenho olhos para mim , o que acho fantástico, sinto-me mais segura assim . 
      Outro medo que tem revolucionado a minha vida é medo do futuro tenho montes de medo do que possa acontecer, se formos separados pela distância algum dia acho que morro. É claro que ele passa os dias a dizer vive o presente , o futuro vem aos poucos e por vezes não entende-me o que deixa um pouco triste mas pronto a vida ´assim e nem sempre as pessoas conseguem compreender umas às outras.
      Nada é fácil nesta vida, e pelo que vi até hoje  as coisas melhores são as que têm mais obstáculos e são as que levam as nossas forças ao limite, que fazem nos ficar deprimidos , tristes e assim... Mas também são esses que fazem nos explodir de alegria O segredo da vida é nunca desistir dela, há sempre algo para nós temos e de ter calma e esperar que apareça aquela luzinha que nos guiará.